6 de novembro de 2016

C&A e suas campanhas

Não é de hoje que que a C&A lança polêmicas e rompe tabus através de suas campanhas e editoriais cheios de personalidade e atitude. A multinacional vem contribuindo de forma destacável com a luta pela igualdade e diferenças (a depender do ponto de vista), e contra o preconceito defasado. Acho que esse olhar mais consciente para com pessoas relativamente diferentes, mostra que a humanidade está passando por um processo de evolução tão esperado. Antes, até mesmo quem era a favor das diferenças, tinha medo de se expor e levantar bandeiras por receio de sofrer represálias. Hoje, essa realidade mudou muito através da mídia que nos dá voz. Voz às mulheres, negros, gays, deficientes e esteticamente `diferentes`. 
Recentemente a marca lançou uma campanha com duas iniciativas super bacanas, e que chamou a atenção - positivamente, dos internautas. No editorial da coleção `COR&S`, pudemos contar com duas modelos DIFERENTES e LINDAS. Primeiro uma senhorinha mais jovem que muito mocinha. Cheia de energia e com um visual super moderno - juro que quando vi a campanha me senti inspirada a correr pra loja e comprar o mesmo look. Segundo, uma negra lindérrima com vitiligo (mero detalhe), o que não interferiu em nada a beleza do ensaio. Muitos leitores disseram que era difícil notar o vestido usado pela modelo, antes de notar a própria modelo. Mas não por causa das manchas, mas sim pela beleza e atitude. 

Vale lembrar que se essa campanha foi tão bem vista pelos clientes da marca, as campanhas anteriores não teve tanto sucesso - pelo menos não unanimemente. No dia dos namorados, a polêmica foi em torno da exclusão do gênero. Na propaganda, casais de namorados usavam as roupas do parceiro, o que gerou protesto inclusive da cantora gospel Ana Paula Valadão. 

Na campanha `Entre na mistura jeans`, lançada em setembro, a modelo denominada de plus size pela C&A não agradou a todos. Clientes e internautas disseram que esse título não se encaixava à modelo. Na mesma campanha haviam cliques de uma modelo negra com a seguinte frase `Sou negra. Sou loira`. Também não teve uma boa aceitação. Muitos criticaram o tom claro da pele da modelo. 

A linha batizada de `Misture, ouse, divirta-se` também enfrentou preconceito. O vídeo abordava a liberdade de vestir e ser o que quisermos, sempre inovando, misturando e se divertindo. O que mais chocou alguns internautas foi a cena onde um dos modelo usa um vestido. 
A conclusão é que o preconceito e pensamento retrógrado contra tudo que teoricamente está fora do padrão, sempre irá existir. Mas o importante, é continuarmos impondo socialmente a liberdade e democracia de sermos respeitados por todos, sem deixar de ser o que quer que sejamos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo